fbpx

INFORMATIVO

02/10/2019 EMBOLIZAÇÃO – TÉCNICA E MATERIAIS UTILIZADOS

A embolização é realizada em uma sala de angiografia com subtração digital e Road Map, com cuidados de assepsia e anti-sepsia rigorosos.

Sala de procedimento

Salas especializadas são de grande importância, principalmente na presença de alterações anatômicas que dificultam a seleção seletiva da arte uterina, sendo necessárias ou fornecendo materiais especiais de diferentes formas e diâmetros.

Procedimento

Utiliza uma anestesia peridural ou raquianestesia, associada a sedação consciente do paciente, uma opção para bloquear um visto e manter uma analgesia prolongada, para prevenir como dores pós embolização que está invariavelmente presente. Realizamos então uma punção da artéria femoral comum e a passagem de uma bainha por onde se introduzem os cateteres.

Exemplo de punção e passagem de guia

Localização da artéria femoral na região inguinal

Técnica de punção

Com o auxílio de guias de fio e controle de baixa osmolaridade ou não iônicos, introduzidos ou selecionados seletivamente na arte uterina, a partir de então realizamos a liberação de materiais de embolização que promovem a oclusão das artes que irrigam ou mioma, ou o procedimento é realizado com a cateterização das duas artérias uterinas, direita e esquerda, pode ser necessária a utilização de micro cateteres.

Incisão de pele

Punção

Guia passado na agulha

Passagem de introdução

Introdutor

Introdutor passado

O introdutor valvulado permite um acesso ao vaso sem que haja sangramento constante.

Pelo introdutor passa-se os cateteres necessários para o procedimento

Os materiais usados ​​para embolização são como micro-esferas gelatinosas ou PVA (Álcool Polivinílico), que são selecionados em diversos tamanhos, variando de 100 a 1000 micras. O desenvolvimento de micro-esféricas contribuiu para a melhoria técnica da embolização, levando a uma obstrução mais distais na circulação terminal de miomas, reduzindo a necrose de miomas.

Existem várias marcas de seleção disponíveis no mercado brasileiro, entretanto, estudos comparativos entre diferentes são mostrados que existem diferenças significativas entre elas sem resultado final da embolização de miomas.

Os miomas são muito dependentes da circulação e sua interrupção leva a necrose dos miomas, enquanto que os tecidos normais com maior resistência suportam uma embolização.

Artéria uterina cateterizada – Pré embolização

Artéria uterina cateterizada – Pós embolização

 Dr. Cláudio Atsushi Yokoyama – Todos os direitos reservados 

http://www.yokoyama.com.br/mioma.php

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial