fbpx

INFORMATIVO

08/10/2020 Como fazer o autoexame de mama? 10 sinais para observar com atenção

Um tumor detectado em fase inicial tem grandes chances de cura. Aprenda como fazer o autoexame de mama e saiba quais alterações você deve prestar atenção.

O diagnóstico precoce do câncer de mama permite um tratamento menos agressivo e aumenta as chances de cura. Aproximadamente 80% dos casos são descobertos pelas próprias mulheres, por isso é fundamental saber como fazer o autoexame de mama e transformar esse cuidado em um hábito na sua vida.

O câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres no mundo todo, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Cerca de 28% dos novos casos de câncer que surgem todos os anos correspondem a esse tipo de tumor – para 2018, a estimativa é de quase 60 mil diagnósticos de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Pouco frequente antes dos 35 anos, o risco do desenvolvimento dessa neoplasia aumenta conforme o avanço da idade, principalmente depois dos 50 anos. É importante lembrar que, embora as mulheres sejam quase a totalidade das pessoas afetadas, 1% dos casos de câncer de mama acontece entre os homens.

Como fazer o autoexame de mama

O autoexame de mama é indicado para todas as mulheres a partir dos 20 anos. Como as mamas podem ficar inchadas antes e durante o período menstrual, a recomendação é fazer o exame 7 dias depois do início do sangramento. No caso das mulheres que estão na menopausa, o ideal é escolher uma data fixa todos os meses.

Um autoexame completo é realizado em três etapas: a observação em frente ao espelho, a apalpação durante o banho e a apalpação deitada. Saiba como fazer cada uma delas:

1. Observação em frente ao espelho

  • Tire a blusa e o sutiã e fique em frente ao espelho com as mãos na cintura;
  • Verifique o tamanho, o formato e o contorno das mamas;
  • Observe se há alterações na pele da mama, na aréola ou no mamilo;
  • Verifique se o sutiã deixa marcas em apenas uma das mamas, indicando inchaço;
  • Deixe os braços soltos ao lado do corpo e observe as mamas novamente;
  • Erga os braços e observe se há alterações.

2. Apalpação em pé no chuveiro

  • Com a coluna ereta, coloque a mão esquerda atrás da nuca, com o cotovelo apontado para cima;
  • Deslize a mão direita pela mama esquerda, apalpando-a com a ponta dos dedos;
  • Faça movimentos circulares com firmeza, mas sem causar desconforto ou dores, iniciando na axila e seguindo em direção ao mamilo;
  • Durante a apalpação, verifique se há regiões mais densas ou caroços;
  • Faça os mesmos movimentos circulares na região das axilas, observando se há algum nódulo palpável;
  • Pressione delicadamente o mamilo para verificar se há saída de líquido de origem desconhecida;
  • Troque a posição dos braços, colocando a mão direita na nuca, e repita o passo a passo desta etapa.

3. Apalpação deitada

  • Deite-se na cama, coloque um travesseiro fino embaixo do ombro esquerdo e leve a mão esquerda para trás da cabeça;
  • Com a outra mão, apalpe a mama esquerda e faça movimentos circulares com a ponta dos dedos, verificando a presença de anormalidades;
  • Coloque o travesseiro embaixo do ombro direito e repita os passos com a outra mama.

Esses passos são necessários porque a mama se movimenta junto com o corpo, de forma que uma anormalidade pode passar despercebida em determinada posição. Além disso, durante o banho, com a pele ensaboada, as mãos deslizam mais facilmente, aumentando as chances de detectar qualquer anormalidade.

10 sinais para observar durante o autoexame de mama

Em geral, o câncer de mama é detectado pela presença de um nódulo rígido e irregular, normalmente indolor – embora isso não seja uma regra e a mulher possa sentir dores na região em alguns casos.

Outras alterações indicativas de um tumor são a presença de um caroço na axila, inchaço na mama, irritação da pele e secreção de líquido pelo mamilo. Veja 10 sinais aos quais você deve estar atenta durante o autoexame:

  1. Mama inchada, com tamanho ou formato alterado;
  2. Mamilo secretando líquido sem que você esteja amamentando;
  3. Irritação ao redor do mamilo com vermelhidão, coceira ou ardência;
  4. Pequenas feridas ou lesões na mama;
  5. Região da mama “afundada” ou retraída, com prejuízo ao contorno;
  6. Caroço perceptível ao toque na mama ou na axila;
  7. Veia dilatada ou aumentando de tamanho na mama;
  8. Textura da pele alterada com surgimento de rugas ou aparência de celulite;
  9. Mamilo que mudou de posição ou virado para dentro (inversão);
  10. Dores nas mamas ou nas axilas.

Além desses sinais, você deve levar em consideração qualquer alteração que surja entre uma mama e outra ou entre um exame e outro. É importante conhecer seu corpo para poder detectar qualquer tipo de mudança.

Encontrei um sinal de câncer de mama. E agora?

Se você percebeu alguma alteração nas mamas durante o autoexame, o primeiro passo é tentar manter a calma. Lembre-se de que a maior parte dos caroços é benigna, podendo corresponder a um cisto sebáceo, um furúnculo (íngua) ou uma inflamação dos gânglios.

Contudo, isso não quer dizer que esse sinal possa ser ignorado. Dessa forma, você deve procurar o ginecologista ou o mastologista (médico especialista em mamas), ambos disponíveis pelo MEDPREV, o mais rápido possível. Na consulta, o médico fará um novo exame físico e poderá solicitar uma mamografia para investigar a alteração.

Além de saber como fazer o autoexame de mama, é essencial realizar a mamografia a cada dois anos se você tem entre 50 a 69 anos. Lembre-se também de que a melhor forma de prevenção do câncer de mama é a adoção de um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada e atividade física, evitando-se o álcool e o cigarro. Previna-se!

Fonte(s): INCA, Gineco e Mulher com Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre no nosso grupo sobre Mioma
Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial