fbpx

INFORMATIVO

27/08/2019 Cirurgiões da Clínica Mayo usam laser no tratamento de varizes

Profissionais Médicos em varios países estão incorporando a tecnologia do Laser nos procedimentos médicos com resutados favoráveis, com maior segurança e confiabilidade nas intervenções. Como exemplo, a Clinica Mayo nos Estados Unidos utiliza o Laser regularmente em seus procedimentos desde 2004. veja tradução da matéria médica divulgada pela Clinica Mayo:

Matéria divulgada em 28 de Setembro de 2004

JACKSONVILLE, Flórida — Cirurgiões vasculares da Clínica Mayo de Jacksonville, Flórida, estão realizando o tratamento a laser endovenoso (EVLT – endovenous laser treatment), um procedimento minimamente invasivo, em veias varicosas. O EVLT é uma alternativa à cirurgia tradicional, bem como a outros procedimentos minimamente invasivos.

Cerca de 15% dos adultos nos Estados Unidos, a maioria mulheres, têm veias varicosas. A hereditariedade, idade e gravidez são fatores de risco associados ao desenvolvimento de refluxo venoso, o distúrbio que causa veias varicosas. Além deles, a obesidade, trauma físico nas pernas e longos períodos passados em pé agravam o problema.

O refluxo venoso ocorre quando válvulas minúsculas dentro da veia se danificam, fazendo com que o sangue recue e estanque, formando uma “represa” na veia, o que resulta em dilatação. Isso causa maior dano as válvulas que estão mais à frente e a condição geral da veia piora.

A veia safena magna, de maior calibre, vai da parte interna do tornozelo à virilha. Inúmeras veias superficiais se ramificam dessa veia. Assim, o refluxo venoso na veia safena magna é, usualmente, o problema básico que está por trás dos casos de veias varicosas.

Ao paciente que se submete a um EVLT é administrada anestesia regional. A seguir, o cirurgião introduz uma agulha na veia safena magna, na altura do joelho. Guiado por ultra-som, o médico insere um fio guia metálico através da agulha e os leva pela veia até a virilha. Isso permite a colocação de um cateter e de um laser especial na veia. O cirurgião liga o laser e, lentamente, remove a fibra do laser, que, ao ser retraída, provoca o colapso da veia.

“O laser provoca a evaporação do sangue e o colapso da parede interna da veia, de forma que o sangue não pode mais fluir por ela”, explica o cirurgião da Clínica Mayo, Albert Hakaim que realiza o EVLT. “A fibra do laser não precisa fazer contato com a parede da veia. Assim, não há limitação na largura da veia que pode ser tratada”.

Um procedimento semelhante, que usa energia de radiofreqüência para provocar o colapso da veia, só pode ser empregado nos casos em que a veia tem até 12 milímetros de diâmetro.

Segundo Hakaim, outras vantagens do EVLT incluem um tempo mais curto de recuperação do que nos casos das tradicionais excisão da veia ou cirurgia de ligadura, um retorno mais rápido às atividades cotidianas, além de não deixar cicatrizes.

Um EVLT é realizado em menos de uma hora. Os pacientes são observados por seis horas, antes da alta. Depois podem voltar à vida normal, mas não a atividades físicas vigorosas. Usam uma pequena atadura no lugar do tratamento e uma bandagem elástica por sete dias. A maioria dos pacientes experimentam alívio imediato de seus sintomas. As estatísticas revelam que o procedimento tem uma taxa de sucesso de 98%.

A Clínica Mayo é uma instituição médica com múltiplas especialidades, localizada em Jacksonville, Flórida.

A equipe profissional da Mayo é constituída por 312 médicos, que atuam em mais de 40 especialidades, em diagnóstico, tratamento e cirurgia.

Os pacientes que precisam de hospitalização são encaminhados ao St. Luke’s Hospital, que é afiliado à Mayo e dispõe de 289 leitos. A Clínica Mayo também tem unidades em Rochester (Minnesota) e Scottsdale (Arizona). Para mais informações, visite o site da Mayo www.MayoClinic.org.

Mais informações em: www.yokoyama.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial