fbpx

INFORMATIVO

21/05/2020 Saúde da Mulher em tempos de Covid19. Tratamento de miomas uterinos em hospitais ambulatoriais é opção segura durante a pandemia.

A chegada do Covid-19 vem causando grandes mudanças ao redor do mundo. Mulheres com vários problemas de saúde que tinham programado tratamentos eletivos antes da chegada da pandemia, se perguntam agora se ainda devem fazê-los. Existe uma preocupação legítima que a realização de procedimentos eletivos no momento de uma pandemia possa aumentar o risco de infeção para pacientes e equipes médicas. 

Em primeiro lugar, se um procedimento pode ser adiado sem resultar em problemas adicionais para um paciente, o tratamento deve ser adiado mesmo. As recomendações atuais de distanciamento social, isolamento, lavagem frequente das mãos etc. são passos importantes na luta para reduzir e, finalmente, parar esse vírus.

Também há uma preocupação dos hospitais em preparar a infraestrutura e o recurso humano para fazer frente à pandemia. O resultado inicial disso tem sido o cancelamento de todas as cirurgias e procedimentos hospitalares eletivos.

Mas de certa forma isso vem comprometendo o tratamento de inúmeras doenças que afetam a saúde da mulher, incluindo os miomas uterinos. Estes tumores benignos da pelve feminina causam um profundo impacto na qualidade de vida das mulheres que já esta seriamente afetada pela situação extrema que estamos enfrentando atualmente.

Assim as limitações impostas para o acesso a tratamentos eletivos têm obrigado às mulheres a conviver com o desconforto e/ou com tratamentos temporários com pouca efetividade. Uma situação frequente na mulher com miomas uterinos é o sangramento menstrual muito intenso, que além provocar bastante desconforto pode ocasionar anemia que costuma exigir reposição ou suplementação de ferro. Não é incomum que essas pacientes precisem não apenas de ferro, mas também de transfusão de sangue. Isso pode ser agravado em pacientes com algum tipo de distúrbio de coagulação.

Embora essa condição hemorrágica não seja fatal para a maioria das pacientes, ela pode forçá-las a ir a um pronto socorro se arriscando à exposição ao Covid-19. A anemia por deficiência de ferro que as pacientes com miomas geralmente sofrem é gradual e progressiva. Os sintomas de fadiga e letargia podem até ser falsamente atribuídos pela paciente à idade ou porque ela sofre com isso há tanto tempo, torna-se seu “novo normal”. Esses fatos não devem minimizar o significado da anemia, que quando profunda, está associada a um maior risco de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral, mesmo em mulheres jovens. Embora a correção da anemia seja útil para mitigar esses riscos, o tratamento da causa raiz da anemia também parece ser justificado mesmo na atual conjuntura.

Mas como dizemos, as pessoas estão compreensivelmente preocupadas e com medo de ir ao hospital para receber cuidados médicos neste momento e serem expostas ao Covid-19.

Entretanto, existem alternativas que devem ser consideradas.

Em primeiro lugar as mulheres devem saber que para corrigir este problema não precisam se submeter a cirurgias tradicionais com anestesia geral e permanecer vários dias internadas. Muito menos precisam perder o seu útero. Existe um procedimento muito eficiente e seguro para tratar os miomas que se chama Embolização e consiste em interromper o fluxo de sangue para os miomas e dessa forma, mata-los. É um procedimento muito simples feito por cateterismo com anestesia local e de forma ambulatorial. Ou seja, a paciente passa muito pouco tempo no hospital e isso reduz a eventual chance de contaminação com o Covid-19.

Em segundo lugar, existe a alternativa para evitar completamente os hospitais tradicionais e são os hospitais ou centros especializados em cirurgia ambulatorial, um sucesso nos Estados Unidos e na Europa há muitos anos.  Nestes hospitais de curta permanência (outpatient) a embolização de miomas uterinos pode ser realizada com absoluta eficiência e segurança. Não há tráfego de pacientes sabidamente contaminados com Covid-19 já que estas instituições não cuidam ou abrigam esse tipo de pacientes. Portanto, este é um ambiente muito mais seguro para as pacientes com miomas uterinos que podem ser tratadas de forma rápida e com absoluta segurança. Mesmo assim, os hospitais de curta permanência apresentam protocolos rígidos de segurança para pacientes e equipes médicas como o fornecimento de EPI adequado, disponibilidade de testes e procedimentos de higienização permanente para minimizar qualquer risco de uma possível infecção.

Em síntese, mulheres que sofrem com intensos sangramentos menstruais e anemia por causa de miomas uterinos não precisam esperar até a pandemia passar para resolver o problema. A Embolização realizada em hospitais especializados em cirurgia ambulatorial são nos dias de hoje o procedimento ideal e o local mais adequado para tratar os miomas uterinos e seguramente será onde todas as pacientes com miomas serão tratadas no futuro.

https://www.linkedin.com/pulse/sa%25C3%25BAde-da-mulher-em-tempos-de-covid-19-tratamento-%25C3%25A9-nestor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre no nosso grupo sobre Mioma
Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial